image_pdfimage_print

Mestrado Profissional de Farmanguinhos forma seu centésimo mestre: Alessandra Lanzillotta Esteves – coordenadora de Desenvolvimento Tecnológico (CDT). Confira os detalhes sobre o estudo da servidora

Alessandra Esteves foi a centésima mestre formada no Mestrado Profissional de Farmanguinhos (Foto: Edson Silva/Arte: André Nogueira)

 

A servidora Alessandra Lanzillotta Esteves, coordenadora de Desenvolvimento Tecnológico (CDT), é a centésima mestre formada pelo Mestrado Profissional em Gestão, Pesquisa e Desenvolvimento na Indústria Farmacêutica. A defesa da dissertação dela se tornou um marco para o curso, que foi criado em 2009 e se consolidou com duas avaliações da Capes. Atualmente, o Mestrado de Far é o mais conceituado dentre os cursos do Brasil nesta modalidade – está classificado com a nota 4, numa escala que varia de 1 a 5.

O Mestrado Profissional de Farmanguinhos propõe o desenvolvimento de trabalhos que tragam ganhos práticos e efetivos à instituição – Alessandra Esteves

Segundo o coordenador Jorge Lima de Magalhães, o curso de Farmanguinhos está apto a se tornar Programa Profissional. Caso o projeto seja aprovado, a unidade poderá ofertar também o Doutorado. “Nosso diferencial se sustenta pelo fato de termos um curso instalado na maior instituição pública de pesquisa, desenvolvimento, ensino e inovação da América Latina (Fiocruz), e que é integrada ainda por uma fábrica de medicamentos”, observa. Magalhães ressalta que a modalidade Profissional pressupõe que os docentes em gestão tecnológica tenham a habilidade de formar os novos mestres, agreguem com sua experiência em práticas da cadeia farmacêutica, além de terem forte viés acadêmico.

Jorge Magalhães faz os planos para o futuro do Curso que, caso seja aprovado como Programa Profissional, poderá oferecer Doutorado (Foto: Alexandre Matos)

Melhorias internas – Neste sentido, Alessandra Esteves defendeu a dissertação Gerenciamento de projetos de desenvolvimento de medicamentos sintéticos em um laboratório farmacêutico oficial brasileiro: proposta para melhoria da gestão a partir da modelagem de um processo padrão. O estudo teve como objetivo criar um modelo padrão de processo de desenvolvimento de medicamentos em Farmanguinhos, de modo que possa dar apoio aos gerentes de projetos e a todas as áreas que participam do processo. Outro objetivo é a proposição de melhorias ao processo padrão e à gestão de projetos.

 

O modelo proposto por Alessandra foi realizado com participantes da CDT e com outras áreas da unidade, o que gerou maior alinhamento entre os setores que passaram a conhecer melhor o processo de desenvolvimento de um medicamento. A partir da investigação, a nova mestre sugere a implantação de algumas iniciativas, como a necessidade de gestão de portfólio de projetos, por exemplo.

 

“Várias melhorias foram propostas ao processo padrão que já está em uso em Farmanguinhos. Uma delas é a inserção de representantes da área de Desenvolvimento de Embalagem (Qualidade) e de Projetos Industriais (VDOP) na equipe do projeto desde a iniciação e planejamento. Daí decorrem várias novas atividades que estas áreas deverão realizar nos projetos de desenvolvimento”, explica Alessandra.

A partir da esq.: Wanise Barroso (NIT-Far), Alessandra Esteves (CDT), Estella Regina Reis da Costa (Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro/UFRRJ) e Priscila Rito (Foto: acervo Alessandra Esteves)

Ela observa que somente com a implementação das melhorias na prática é que poderá gerar o aumento da eficiência dos projetos. “Com a proposição de melhorias, foram mapeadas novas interfaces que estavam faltando no processo. Além disso, foram sugeridos requisitos de qualidade a gestão dos projetos. Uma vez que a instituição consiga implementar as melhorias, a eficiência dos projetos de desenvolvimento tende a crescer”, observa.

 

A servidora não hesita em ressaltar os benefícios que o curso oferece à unidade. “O Mestrado Profissional de Farmanguinhos propõe o desenvolvimento de trabalhos que tragam ganhos práticos e efetivos à instituição, principalmente na área de gestão, onde normalmente observamos carência de estudos aprofundados”, avalia.

 

Aplicabilidade na indústria – A orientadora Wanise Barroso destaca que Farmanguinhos tem colhido bons frutos do Mestrado Profissional ao longo desses anos.  Ela  faz questão de frisar que é gratificante acompanhar a evolução acadêmica e profissional do aluno, e afirma que o aprendizado na gestão da indústria farmacêutica passou a ser ininterrupto. Prova disso é que os trabalhos têm aplicabilidade em diferentes áreas da indústria farmacêutica, inclusive, a maioria dos orientandos dela, com vínculo empregatício em Far, está conseguindo colocar em prática a proposta da dissertação.

 

Ela ressalta que o projeto de Alessandra Esteves possibilitará um melhor desempenho das atividades da CDT e de outras áreas envolvidas na pesquisa. Como resultado, pondera Wanise, a unidade consegue alcançar maior eficiência no atendimento das demandas do Ministério da Saúde e da sociedade brasileira.