image_pdfimage_print

Na manhã do dia 6/3, a força de trabalho de Farmanguinhos se reuniu no Complexo Tecnológico de Medicamentos (CTM), em Jacarepaguá, para discutir ações integradas de segurança e minimização dos riscos.

O objetivo do encontro foi apresentar aos colaboradores as articulações que a Fiocruz tem realizado para revisar o plano de contingência da Instituição de modo a abarcar as peculiaridades de cada campus da Fiocruz.

A Coordenadora de Controles Operacionais de Farmanguinhos, Silvia Santos, iniciou a reunião ampliada apresentando a situação atual do entorno do CTM e destacou a falta de segurança no local, a aglomeração irregular de lixo e a falta de atendimento dos órgãos municipais e estaduais. Silvia registrou o intenso trabalho que a direção do instituto tem realizado para mitigar os riscos a que estão expostos a força de trabalho. Dentre as ações que Farmanguinhos vem realizando, estão a revisão do plano de contingência, alinhado com as ações da Fiocruz e a criação do plano de comunicação em segurança.

Além dos colaboradores e da diretoria de Far, estiveram presentes o Diretor da Coordenação-Geral de Gestão de Pessoas (Cogepe), Juliano Lima, o Diretor da Coordenação-Geral de Infraestrutura dos Campi (Cogic), Roberto Pierre Chagnon, o Coordenador de Cooperação Social, José Leonidio Santos, e ainda o Chefe de Gabinete da Presidência, Valcler Rangel.

Valcler destacou a responsabilidade de todos na questão da segurança e a metodologia de atuação da Fiocruz. Para ele, a Fundação precisa atuar de forma pragmática, com a revisão do plano de contingencia e, paralelamente, com a participação nas discussões políticas e estratégicas que visem solucionar o problema através do enfrentamento das deficiências de saúde, de educação e das diversas demandas sociais da cidade do Rio de Janeiro.

O CD-Fiocruz instituiu em 2017 um Grupo de Trabalho para tratar a questão da segurança e, recentemente, Farmanguinhos foi inserido ao grupo, registrou Juliano Lima.

O diretor do Instituto, Jorge Mendonça, lembrou do esvaziamento que tem acontecido no entorno do campus, com a saída das empresas vizinhas e relembrou as diversas ações sociais promovidas por Farmanguinhos na Cidade de Deus.

O público presente contribuiu com sugestões de comunicação em segurança e ressaltou a preocupação de todos com o crescimento desordenado das comunidades do entorno.

Da esquerda para direita, Coordenadora de Controles Operacionais, Silvia Santos, Diretor da Coordenação-Geral de Infraestrutura dos Campi (Cogic), Roberto Pierre Chagnon, diretor de Farmanguinhos, Jorge Mendonça, o chefe de gabinete da Presidência, Valcler Rangel, o Diretor da Coordenação-Geral de Gestão de Pessoas (Cogepe), Juliano Lima, e o Coordenador de Cooperação Social, José Leonidio Santos