image_pdfimage_print

Vice-presidente participa de aula inaugural 2018 e explica principais ações do Sistema de inovação da Fiocruz

Krieger falou sobre a política de inovação da Fiocruz, premissas, ações e o foco nos produtos inovadores

A Aula Inaugural do ano letivo 2018 em Farmanguinhos  foi realizada pelo Vice-presidente de Produção e Inovação em Saúde da Fiocruz, Marco Aurelio Krieger, no dia 15 de março, que abordou o Sistema Fiocruz de Ciência Tecnológica e Inovação.

Durante a palestra, Krieger fez um retrospecto da inovação na Fiocruz e falou sobre a utilização do conhecimento científico em benefício da saúde pública brasileira. O vice-presidente apresentou as premissas e principais ações da vice-presidência, como o trabalho coletivo, com ações coordenadas e solidárias, consolidando as cadeias de inovação com cooperação entre os institutos. “Tem que haver integração entre as diferentes áreas de competência da Fiocruz, podendo unir os conhecimentos, e não fragmentando as iniciativas. O futuro é para juntar as moléculas biológicas com as sintéticas, então a Fiocruz tem que se preparar com esforços convergentes. Unir os excelentes grupos de pesquisa da Fiocruz com os técnicos-científicos”, ressaltou.

O vice-presidente falou sobre o cronograma do trabalho de internalização do novo marco legal e os princípios norteadores da Política de Inovação da Fiocruz. Ele explicou alguns projetos de sucesso e divulgou que buscarão fomentos para ideias inovadoras. “Nós temos pouco dinheiro, mas temos dinheiro para fazer a coisa certa. Queremos que todas as áreas da Fiocruz deem ideias originais e vamos transformar as ideias inovadoras em produtos inovadores. Se tiver um produto inovador, é só bater na minha porta”, afirmou Krieger.

Após realizar uma visita na produção, o palestrante ficou satisfeito com o novo complexo fabril da unidade. “É uma obra que tem uma complexidade muito grande e Farmanguinhos já têm áreas liberadas para que a gente viabilize as PDPs. No próximo ano, estaremos em uma situação inédita, com uma estrutura adequada, que vai permitir que façamos não só o que já se comprometeu, mas com que consigamos avançar ainda mais. É uma obra que vai mudar a nossa área de atuação neste segmento”, frisou.

Mesa de abertura abordou o ensino nas unidades e ainda, a preocupação com a violência e o abandono do estado no entorno dos campi

Ainda sobre as PDPs, Krieger comentou que a política é boa e funciona, principalmente pelo impacto tecnológico, pela redução de custos e pelo amplo acesso  da população. Foram apresentados dados do Ministério da Saúde, que demonstraram que os medicamentos estratégicos oriundos das PDPs, tiveram uma redução de 56% do custo dos medicamentos, enquanto aqueles sem PDPs, tiveram acréscimo parecido com o da inflação.

Os presentes no encontro realizaram perguntas sobre patentes, integração de  pesquisadores de diferentes áreas e modelos de negócios.

Participaram da mesa de abertura o Coordenador de Pós-graduação de Farmanguinhos, Jorge Magalhães, o diretor de Farmanguinhos, Jorge Mendonça, e o Coordenador Geral Adjunto de Educação da Vice-Presidência de Educação, Informação e Comunicação (VPEIC), Milton Moraes.

Na ocasião, além de falar da importância do ensino, os membros da mesa destacaram os infelizes acontecimentos de mortes no estado e a situação de abandono ao redor do CTM.

Coordenador de Pós-graduação de Farmanguinhos, Jorge Magalhães, Vice-presidente de Produção e Inovação em Saúde da Fiocruz, Marco Aurelio Krieger, Coordenador Geral Adjunto de Educação da Vice-Presidência de Educação, Informação e Comunicação (VPEIC), Milton Moraes, e o diretor de Farmanguinhos, Jorge Mendonça