Download PDF
image_print

Além da fabricação de antirretrovirais e outros medicamentos, o Instituto está em fase de conclusão das primeiras PDP

Farmanguinhos começou o ano a todo vapor. Nos três primeiros meses, foram produzidas mais de 26 milhões de unidades farmacêuticas. Os medicamentos foram encaminhados ao Ministério da Saúde para serem disponibilizados no Sistema Único de Saúde (SUS). Além da rotina de produção, o Instituto internaliza medicamentos provenientes de Parcerias de Desenvolvimento Produtivo (PDP).

Entre os produtos estão os antirretrovirais Lamivudina, Lamivudina+Zidovudina, Efavirenz, Nevirapina e Tenofovir+Lamividina (Duplivir). Foram também produzidos o antimalárico Cloroquina, o tuberculostático Isoniazida, o antiviral Oseltamivir e a vitamina A.

Conclusão de três PDP – A vice-diretora de Operações e Produção, Elda Falqueto, ressalta o papel de Farmanguinhos como principal produtor público de medicamentos no país. “Iniciamos 2019 com aumento da nossa demanda. A novidade é que, além de nossos medicamentos, também começamos a interiorizar os frutos de Parceria de Desenvolvimento Produtivo (PDP), como a embalagem do Duplivir e do Pramipexol”, observa.

Outra boa notícia é que esses medicamentos já estão sendo produzidos na área fabril recentemente reformada. “Esperamos que, em breve, alcancemos o ápice da nossa produção interna, mantendo o papel de Farmanguinhos como o principal fornecedor de antirretrovirais para o governo”, assinala.

Com a produção em alta e a absorção de medicamentos de alta complexidade tecnológica, Farmanguinhos reitera o seu compromisso com a saúde pública e seu caráter essencial para o Brasil.

Nos três primeiros meses, a unidade ultrapassou os 26 milhões de unidades farmacêuticas produzidas. A previsão é que a produção de 2019 supere a dos anos anteriores (Fonte: Planejamento e Controle de Produção – PCP)