Autor: Tatiane Sandes (Página 1 de 4)

image_print

Farmanguinhos participa de 8ª edição de evento sobre bioeconomia

Download PDF

Além dos projetos desenvolvidos pela Plataforma Agroecológica de Fitomedicamentos e a revista Fitos, o público do evento também pode conhecer o biolarvicida DengueTech

Entre os dias 23 e 25 de maio, na Marina da Glória,  aconteceu a 8ª edição do Green Rio, um dos mais importantes eventos sobre bioeconomia no Brasil. Reconhecido como plataforma para negócios sustentáveis, a iniciativa reuniu representantes da economia verde e do setor orgânico para debaterem e desenvolverem parcerias estratégicas. 

Farmanguinhos também esteve presente no evento. O  Centro de Inovação em Biodiversidade e Saúde (CIBS) apresentou os projetos desenvolvidos pela Plataforma Agroecológica de Fitomedicamentos (PAF) e também divulgou informações sobre a revista Fitos, periódico científico voltado para estudos com plantas medicinais e fitoterápicos. Já o Escritório de Projetos da Pesquisa expôs o DengueTech, biolarvicida desenvolvido pela unidade, cuja tecnologia foi transferida para uma empresa nacional (BR3).

 

Sobre o evento – Desde 2012, o Green Rio vem se firmando como um dos principais eventos sobre bioeconomia no Brasil e representa para os participantes uma oportunidade de fazer parcerias estratégicas, conhecer produtores e empreendedores que adotam técnicas sustentáveis de produção, além de ampliar a rede de contatos com especialistas brasileiros e estrangeiros. 

Pesquisador de Farmanguinhos é premiado em Simpósio de Farmacognosia

Download PDF

Marcos Jun Nakamura foi contemplado pelo estudo sobre oleorresinas de copaíba. Pesquisa de Simone Sacramento Valverde também foi destaque no evento

Um estudo desenvolvido pelo biólogo Marcos Jun Nakamura, da área de Produtos Naturais de Farmanguinhos, foi premiado durante o 12º Simpósio Brasileiro de Farmacognosia e 17º Simpósio Latinoamericano de Farmacobotânica, realizados na cidade de Petrópolis de 7 a 10/5. Denominada Variabilidades no controle de qualidade físico-química de oleorresinas de copaíba e relações com características ecomorfológicas, a pesquisa foi contemplada na área temática de Controle de Qualidade e Tecnologia de Fitoterápicos. A investigação aborda métodos físico-químicos convencionais para o controle de qualidade de óleo de copaíba.

Trata-se de um importante produto florestal não madeireiro, extraído e vendido ao mercado externo para utilização em diferentes indústrias, tais como as de cosméticos, perfumaria, de vernizes e farmacêutica. Objeto do estudo, a oleorresina de copaíba apresenta propriedades anti-inflamatória, antisséptica e cicatrizante. De acordo com o Formulário de Fitoterápicos da Farmacopeia Brasileira, sua formulação é recomendada em aplicações dérmicas.

A pesquisa foi tema da dissertação de Mestrado do pesquisador, defendida em 2016, sob orientação da professora Mônica Freiman de Souza Ramos (Faculdade de Farmácia/UFRJ). O estudo contou, ainda, com a participação dos pesquisadores Antonio Carlos Siani e José Luiz Mazzei da Costa, ambos de Farmanguinhos, além de pesquisadores da Embrapa e da Universidade de São Paulo (USP).

Farmanguinhos foi destaque ainda em outro estudo com plantas medicinais. Com o título Perfil metabólico e identificação de marcadores químicos e biológicos de quatro diferentes espécies de arnicas brasileiras da família Asteraceae, o projeto da pesquisadora Simone Sacramento Valverde, também da área de Produtos Naturais, foi um dos 12 trabalhos científicos selecionados para apresentação oral no evento. O estudo conta com o apoio do Proep/CNPq e Inova/Fiocruz.   

Sobre o evento – É uma realização da Sociedade Brasileira de Farmacognosia juntamente com a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e a Faculdade de Medicina de Petrópolis/Faculdade Arthur de Sá Earp (FMP/FASE). O evento teve como objetivo possibilitar discussões e interações nas mais diversas áreas da Farmacognosia e da Farmacobotânica, visando o intercâmbio de conhecimentos e experiências entre pesquisadores, professores e estudantes das áreas de plantas medicinais e produtos naturais relacionadas a essas áreas.

Dia Mundial da Reciclagem

Download PDF

Farmanguinhos divulga resultados sobre resíduos descartáveis. O Instituto encaminhou mais de 330 toneladas de resíduos para reciclagem nos últimos quatro anos

(mais…)

Produção com qualidade: Farmanguinhos libera 192 lotes de medicamentos para o SUS

Download PDF

Após aprovação do Controle de Qualidade, o Instituto libera 192 lotes de medicamentos para o SUS

O compromisso com a qualidade e a excelência é um dos valores que norteiam a atuação de Farmanguinhos. Antes de chegar às mãos dos pacientes, o medicamento passa por rígido controle de qualidade a fim de garantir sua segurança e eficácia. Após a aprovação de todos os processos, o produto é enviado para distribuição no Sistema Único de Saúde (SUS).

Neste sentido, nos três primeiros meses deste ano, Farmanguinhos liberou 192 lotes de medicamentos para a rede pública de saúde, num total de mais de 26 milhões de unidades farmacêuticas. Entre os produtos estão os antirretrovirais Lamivudina, Lamivudina+Zidovudina, Efavirenz, Nevirapina e Tenofovir+Lamividina. Foram também produzidos o antimalárico Cloroquina, o tuberculostático Isoniazida, o antiviral Oseltamivir e a vitamina A.

Destaca-se, ainda, que a Unidade também absorveu tecnologia proveniente das Parceria de Desenvolvimento Produtivo (PDP), o que representa, além da troca de experiência, a transferência e a validação dos métodos do parceiro para serem usados na rotina do Controle de Qualidade. Alguns produtos, como o Sevelâmer, possibilitam obter técnicas novas, utilizando equipamentos adquiridos para as análises desse fármaco.

Para se ter uma ideia do rigor, são coletadas amostras para análise de cada etapa do processo produtivo. Além do medicamento em si, são também avaliados matérias-primas, materiais de embalagem, água e o ambiente. Ao todo, neste primeiro trimestre, foram realizadas 1.765 análises, somando todos os materiais. Trata-se de uma atividade extremamente importante, uma vez que garante a qualidade dos insumos e dos demais elementos, como também a eficácia do medicamento após a fabricação até a data da sua validade.

Desta forma, Farmanguinhos mantém-se como uma referência na produção pública de medicamentos, a partir de seu elevado grau de exigência em qualidade. A unidade possui certificado de Boas Práticas de Fabricação (BPF) junto à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). O Instituto obteve também a aprovação da Organização Mundial da Saúde (OMS) para a pré-qualificação do Artesunato+Mefloquina (ASMQ), antimalárico capaz de curar em até três dias.

Com essa visão, Farmanguinhos consolida seu compromisso com a população brasileira em ampliar o acesso de mais pessoas aos programas de saúde pública, e em oferecer medicamentos de qualidade e com a eficácia comprovada.

Vanildo Ferreira é Gente de Far

Download PDF

“O que você vai ser quando você crescer?”

Dentre muitas indagações que temos que responder durante a nossa vida consta a questão do nosso futuro profissional, bem retratada na música “Pais e Filhos” de Renato Russo. Mas nem sempre sabemos, de fato, o que dizer. Isso porque escolher uma carreira não é algo tão fácil, já que há tantas possibilidades. Nosso entrevistado também se viu indeciso: pensou em ser engenheiro, militar, jogador de futebol, mas foi na área de logística que ele se encontrou e tem permeado sua trajetória, sendo 35 anos dedicados ao segmento farmacêutico. Conheça Vanildo Ferreira, Supervisor do Serviço de Almoxarifado.

Nascido no Rio de Janeiro, o filho mais velho do Sr. Djalma e da dona Beatriz teve uma infância simples no bairro de Bento Ribeiro. Arteiro, além de soltar pipa e jogar bola na rua, cuidava dos três irmãos e fazia algumas tarefas domésticas para ajudar os pais. Com isso, Nildo, como é conhecido, passou a ter responsabilidade, criou um elo forte com os irmãos e, aos poucos, com as experiências e desafios do dia a dia, foi se tornando o “cabeça” da família e um homem cheio de sonhos.

“Quando mais novo, eu pensava em ser engenheiro, pois eu gostava de construir coisas, mas eu não tinha condições de pagar a faculdade. Eu também queria ser atleta. Cheguei a jogar futebol de salão e a ser campeão carioca pelo Grajaú (1977), além de jogar futebol de campo, como juvenil, no Fluminense e no Madureira, mas não me profissionalizei. Com as intempéries da vida, precisei trabalhar para ajudar a minha família e foi aí que comecei a trabalhar na área de logística e não parei mais”, conta.

Vanildo em um dos corredores do Almoxarifado de Farmanguinhos

Em 1981, Vanildo obteve sua primeira oportunidade profissional como auxiliar de Almoxarifado na indústria farmacêutica Moura Brasil (fabricante de colírios), onde trabalhou por 12 anos. Em seguida, trabalhou no Laboratório Veterinário Bravet, depois na Companhia Brasileira de Antibióticos –CIBRAN até, em 2005, chegar em Farmanguinhos. 

“Eu não esperava atuar em Logística, aconteceu. Eu precisava trabalhar e meu tio arrumou um emprego para mim na Moura Brasil. Mas eu me identifiquei muito com a área e decidi me especializar. Fiz Gestão em Logística, na Universidade Castelo Branco, e pós-graduação em Logística, na Veiga de Almeida, além de diversos cursos de capacitação na área. Cada empresa em que eu trabalhei, eu pude aprender, me desenvolver e crescer. Eu gosto muito do que eu faço”, revela.

Quando questionado sobre Farmanguinhos, ele não poupa elogios: “Entrei em Farmanguinhos como auxiliar de Almoxarifado. Embora, pela minha experiência, eu não fosse mais auxiliar, optei por encarar esse desafio porque vi na instituição uma oportunidade de crescer, de encarar novos desafios, de ter autonomia e de me desenvolver. Além disso, é uma instituição diferente das outras. Tenho muito prazer e orgulho em trabalhar aqui”.

Sobre seus momentos mais marcantes na carreira, ele destaca duas situações em Far: a auditoria da OMS e a sua promoção como supervisor do Serviço de Almoxarifado. “O fato de não ter passado na primeira auditoria mexeu muito comigo, pois havíamos nos empenhado bastante e tínhamos uma perspectiva muito boa do resultado. Mas não aconteceu e muitos culpavam o Almoxarifado. Isso me abalou muito, mas foi um aprendizado. A equipe se reuniu, fez levantamento de tudo, realizou as alterações necessárias e, na segunda inspeção, passamos e fomos muito elogiados. Outra ocasião memorável foi quando o Denílson Bastos me convidou para ser o responsável pelo Almoxarifado. Isso demonstrou confiança no meu trabalho e também reconhecimento”. 

Nas horas livres, Nildo gosta de assistir televisão, mais precisamente jogos de futebol. Mas engana-se que ele só vê os do Mengão, seu time de coração: “Amo futebol, principalmente os esquemas táticos. Por isso, gosto de acompanhar os jogos dos outros times e avaliar como os técnicos organizam suas equipes, o desempenho dos jogadores… e trago isso para o meu dia a dia, inclusive para o trabalho, buscando sempre a melhor estratégia para obter os resultados desejados”, evidencia.

A respeito do futuro, ele pensa em realizar o Mestrado para poder transferir todo o conhecimento e experiência obtidos ao longo desses anos para o público jovem:

“Quero mostrar para eles que a logística é uma área boa, com muitas perspectivas, e passar tudo aquilo que sei. Além disso, agora com as minhas filhas já formadas, quero comprar um carro, viajar com a esposa e curtir a vida”, expressa.

Página 1 de 4