Categoria: Arquivos (Página 1 de 31)

image_print

Pesquisador de Farmanguinhos lança livro sobre Síntese Orgânica

Download PDF

Eleito um dos cientistas mais influentes do mundo, Marcus Vinicius Nora de Souza acaba de lançar livro em inglês baseado em exercícios que ensinam a construir os diferentes tipos de fármacos

O pesquisador de Farmanguinhos Marcus Nora, eleito recentemente com um dos cientistas mais influentes do mundo pelo Journal Plos Biology, a partir de um estudo conduzido pela Universidade de Stanford, lança o livro “Exercises in Organic Synthesis Based on Synthetic Drugs” pela editora Bentham Books.

A obra é composta por uma série de exercícios que ensinam, de maneira racional e metódica, como construir os diferentes tipos de fármacos, utilizados para os mais variados tipos de doenças. Dividido em tópicos e com exercícios de distintos graus de dificuldade, a publicação possibilitará ao leitor um melhor domínio da Síntese Orgânica, ramo da química essencial na obtenção e na produção de fármacos, que são a principal substância dos medicamentos, responsável pelo efeito terapêutico.

Segundo Marcus Nora, a proposta do livro é ampliar a discussão e o acesso a essa temática, já que são poucas as obras que abordam o assunto, principalmente no Brasil. Além disso, a intenção também foi buscar divulgar e motivar os alunos a se interessarem pela área da Síntese Orgânica.

“A ideia de escrevê-lo surgiu da vontade de contribuir para esse tema e poder alcançar estudantes e profissionais do Brasil e de outros países. Por esse motivo a obra foi elaborada em inglês, pois a grande maioria da literatura científica é produzida nesse idioma e isso facilita a propagação do conteúdo”, explica.

Sobre o autor – Marcus Vinicius Nora de Souza desenvolve pesquisas na área de Química Medicinal e lidera o Laboratório de Síntese de Substâncias de Combate a Doenças Tropicais de Farmanguinhos, onde elabora estudos sobre Tuberculose, Malária, Leishmaniose e Doença de Chagas, além de processos sintéticos baseados em química verde. Este é o terceiro livro do autor, que já escreveu uma obra em português sobre a Síntese Orgânica e outra em inglês, sobre Tuberculose.

Farmanguinhos se mantém na luta contra a Aids

Download PDF

Além dos oito medicamentos do coquetel, em 2020, o Instituto obteve o registro do genérico clone de mais um antirretroviral, o Dolutegravir sódico

O Instituto de Tecnologia em Fármacos vem reforçando, ao longo de sua atuação, a preocupação com pacientes que vivem com HIV/Aids, a partir de investimento em estudos e novas formulações para o tratamento da doença. Neste Dia Mundial de Luta Contra a Aids, celebrado em 1º de dezembro, a Unidade reafirma seu protagonismo no fornecimento dessa categoria de medicamentos, com a inserção de novos produtos distribuídos no Sistema Único de Saúde (SUS).

O Brasil é referência mundial na produção e acesso universal aos antirretrovirais, classe de medicamentos que age na inibição e multiplicação do HIV no organismo e, consequentemente, evita o enfraquecimento do sistema imunológico. Com parque fabril moderno e corpo técnico altamente qualificado, Farmanguinhos exerce uma função de protagonista no processo de consolidação dessa política nacional de distribuição gratuita de antirretrovirais.

Para se ter uma ideia da atuação do Instituto, dos 23 produtos que compõem o coquetel para a doença, oito são do portifólio ou já fornecidos por Farmanguinhos: Dolutegravir sódico, Efavirenz, Entricitabina + fumarato de tenofovir, Tenofovir + Lamivudina, Lamivudina, Lamivudina + Zidovudina, Nevirapina e Zidovudina.

O diretor Jorge Mendonça destaca a importância da atuação de Farmanguinhos na condução da produção pública de antirretrovirais. “O Brasil é referência internacional no tratamento de HIV/Aids e Farmanguinhos é fundamental na produção e distribuição dos medicamentos para o SUS, sendo referência na produção de Efavirenz, Nevirapina e Zidovudina, por exemplo. Ao longo dos anos, realizamos parcerias e internalizamos muitos destes produtos, ampliando o acesso, garantindo melhores expectativas de vida e o controle da doença. Além disso, o Instituto fornece um dos medicamentos usados na prevenção à infecção pelo HIV”, explica.

Profilaxia Pré-exposição – A afirmação do diretor refere-se ao Entricitabina+Tenofovir Desoproxila, usado na Profilaxia Pré-exposição ao HIV (PrEP). Desde 2019, Farmanguinhos assumiu o fornecimento deste medicamento, que combina dois princípios ativos num único comprimido. Trata-se de um esquema de prevenção à infecção por HIV, que consiste no uso diário do comprimido, que funciona como uma espécie de barreira química contra o vírus. O Brasil é pioneiro na América Latina a aderir à terapia. Vale lembrar que o melhor tratamento é a prevenção. Portanto, o medicamento não substitui o uso de preservativos.

Frutos de parcerias – Em 2020, em meio à pandemia de Covid-19, a Unidade continuou trabalhando de forma ininterrupta e obteve dois grandes êxitos para os tratamentos de HIV/Aids. Em junho, foi concluída a fabricação dos lotes-piloto de Atazanavir. A produção pública foi viabilizada por um acordo de transferência de tecnologia do laboratório americano Bristol Myers Squibb para o Instituto por meio de uma Parceria de Desenvolvimento Produtivo (PDP).

Em agosto, Farmanguinhos obteve o registro do genérico do Dolutegravir sódico. O medicamento será fruto de uma transferência de tecnologia, a partir de acordo com as farmacêuticas ViiV Healthcare e GSK. Pacientes que ainda não haviam iniciado o tratamento com outros antirretrovirais, ou apresentaram resistência aos medicamentos anteriores, foram beneficiados com o dolutegravir, que depois foi incluído nos protocolos clínicos e diretrizes terapêuticas do HIV.

Trajetória com antirretrovirais – Para se ter uma ideia da importância de Farmanguinhos no histórico da doença, em 1999, o Instituto produziu o primeiro antirretroviral, a Zidovudina (AZT).  Outro grande marco para o país foi a produção e distribuição do Efavirenz, fruto do primeiro caso de licenciamento compulsório realizado no Brasil. Tal feito garantiu a soberania nacional quanto a esse medicamento, até então importado.

A atuação de Farmanguinhos no processo de internalização de tecnologias de medicamentos estratégicos, como os antirretrovirais, reduz custos e, consequentemente, favorece a ampliação do acesso a tratamentos mais modernos, conferindo maior qualidade de vida para as pessoas que vivem com HIV/Aids.

 

 

 

 

Farmanguinhos confecciona seus próprios tótens dispersores de álcool em gel

Download PDF

Com baixo custo e excelente qualidade, os equipamentos foram produzidos internamente com materiais disponíveis em estoque. Além de ampliar as medidas de proteção, a iniciativa gera economia para a unidade

Desde o início da pandemia, o Instituto de Tecnologia em Fármacos (Farmanguinhos/Fiocruz) tem adotado medidas que zelem pela saúde e integridade de seus trabalhadores. Uma delas é a implementação de tótens dispersores de álcool em gel com acionamento por pedais. Inicialmente, a unidade adquiriu os equipamentos de empresas especializadas. Mas os profissionais da Casa estudaram uma forma de confeccionar os próprios dispersores a fim de ampliar os pontos de higienização e gerar economia à instituição. No total, já foram fabricados dez equipamentos a partir de materiais do estoque.

A ideia de fabricar internamente os tótens surgiu da vice-diretora de Gestão Institucional da unidade, Sílvia Santos, a partir de um vídeo disponibilizado na internet. Ao perceber que o mecanismo era de baixa complexidade e custo, verificou com o setor de Manutenção Predial, do Departamento de Projetos e Obras, a viabilidade de disponibilizá-los em larga escala e contribuir para as medidas preventivas do Instituto.

Modelo de dispositivo confeccionado por profissionais de Farmaguinhos a partir de materiais do estoque. (Foto: Katia Campanate)

Após alguns estudos e testes, a área passou a desenvolver os equipamentos utilizando apenas tubos e conexões em PVC para a estrutura, e sobras de materiais de policarbonato para o pedal de acionamento. Para tal, contou com uma equipe composta por dois profissionais: um bombeiro hidráulico, que criou o protótipo, e um pintor, que deu o acabamento final ao produto. A identidade visual das placas indicativas foi elaborada pelo Centro de Comunicação.

“Vivemos novas práticas desde o início da pandemia. Consideramos a higienização um fator importante, não somente no combate à Covid-19, como também a outras doenças. Com essa iniciativa, contribuímos para uma maior disponibilidade de pontos de totens e proteção aos colaboradores com baixíssimo custo, já que os equipamentos foram confeccionados, internamente, a partir de canos e materiais disponíveis em nosso estoque. Além disso, tal desafio reforçou a competência e o potencial dos nossos profissionais”, ressalta Sílvia Santos.

Nesta primeira etapa, foram confeccionados dez equipamentos. Eles serão disponibilizados no Complexo Tecnológico de Medicamentos (CTM). A intenção é ampliar para demais campi e incorporar os dispositivos ao dia a dia da unidade, mesmo depois do término da pandemia.

 

Se essa família fosse minha?

Download PDF

Conheça as famílias participantes do Natal Solidário

O espírito natalino invadiu Farmanguinhos, trazendo amor e solidariedade para dez famílias da Cidade de Deus. Unidos, os trabalhadores da unidade estão arrecadando recursos para ajudar essas pessoas que passam por muitas dificuldades para sobreviverem em meio à pandemia e aos seus impactos, como o isolamento social e a falta de emprego.

A seguir, apresentamos as famílias contempladas nesta campanha. Conheça a história de cada uma delas e suas composições. Além disso, também disponibilizamos informações sobre tamanhos de roupas e calçados, caso você tenha algo em casa que possa doar. Toda ajuda é bem-vinda!

1 – Família Batista

Juliana Peixoto Batista mora com as filhas Karolyn e Kauane, 10 e 7 anos, respectivamente, em barraco de madeira próximo à linha amarela, na Cidade de Deus. No momento, Juliana está desempregada, sem rede de apoio familiar. Ela já teve vínculo formal atuando na limpeza de uma creche. Hoje, a sua única renda tem sido o auxílio emergencial.

Composição Familiar:

Nome Idade Grau de parentesco Tamanho de Roupa Tamanho de Sapato
Juliana Peixoto Batista 27 Responsável familiar P 35
Karolyn Vitória Peixoto Batista 10 filha 12 anos 36
Kauane Vitória Peixoto Batista 7 filha 6 anos 29/30


2 – Família Oliveira

Ana Julia Garcia de Oliveira tem 17 anos e reside com sua filha Pérolla, de 10 meses, na Cidade de Deus. Para se manter, ela faz bico como atendente de lanchonete. Ana Julia está cursando o primeiro ano do Ensino Médio e tem desejo de entrar para o mercado formal de trabalho.

Composição Familiar:

Nome Idade Grau de parentesco Tamanho de roupa Tamanho de sapato
Ana Julia Garcia de Oliveira 17 Responsável familiar P/M 37/38
Pérolla Garcia Rochett 10 meses filha 1 ano 19


3 – Família José

Alexandra e os filhos Karolina, Ryan e Kaique compõem a família José. Residentes da Cidade de Deus, a família anteriormente morava em um barraco de madeira. Hoje, com muito esforço, moram em um de alvenaria que foi construído aos poucos por Alexandra. A matriarca encontra-se desempregada, tentando se sustentar com atividade informal, e a sua renda tem sido o auxílio emergencial.

Composição Familiar:

Nome Idade Grau de parentesco Tamanho de roupa Tamanho de sapato
Alexandra da Silva José 37 Responsável familiar 40/M 37
Karolina Vitória da Silva Pimentel 17 filho 36/P 37
Ryan Luiz da Silva Pimentel 15 filho M 40
Kaique Marcelo da Silva Aquino 11 filho 14 anos 37


4 – Família Rocha

A família Rocha foi acolhida na Unidade Municipal de Recolhimento Social (UMRS), no bairro da Taquara, em julho deste ano devido à falta de moradia. A renda familiar é oriunda da atividade de ambulante, a partir de venda de balas, já que Lucineide está desempregada.

Composição Familiar:

Nome Idade Grau de parentesco Tamanho de roupa Tamanho de sapato
Lucineide Alves da Rocha 40 Responsável Familiar P 37
João Victor Alves da Rocha 13 filho M 30
Pedro Gabriel Alves da Rocha 6 filho 8 anos 30


5 – Família Santos

Jackson dos Santos, de 35 anos, é casado com Angélica e mora com seus dois filhos e os quatro enteados no Complexo de Manguinhos. Antes da pandemia, ele trabalhava como cozinheiro na Record. Para obter renda, já que se encontra desempregado, fica como pedinte na Barra da Tijuca e faz alguns bicos quando possível.

Composição Familiar:

Nome Idade Grau de parentesco Tamanho de roupa Tamanha de sapato
Jackson dos Santos 36 Responsável Familiar GG 45
Angelica Gama Gomes 33 Companheira 46 39/40
Jackson Junior Candido dos Santos 14 Filho 15 anos 39/40
João Vinto Lucas Gomes da Silva 12 Enteado 15 39/40
Miguel Gama Gomes 8 Enteado G criança 38/39
Daniel Gama Gomes 6 Enteado 6 anos 27/28
Davi Gama Gomes 5 Enteado 5 anos 27/28
Ana Cristina Gama dos Santos 1 Filha 1 ano 4


6 – Família Andrade

A família é composta por Teresa e seus dois netos, Miguel e Juan. Ela possui a guarda das crianças desde 2019, pois a mãe é usuária de substâncias psicoativas. Juan, de 8 anos, está em acompanhamento psicoterapêutico porque tem apresentado dificuldades no aprendizado. Em situação de vulnerabilidade social, eles dependem do Programa Bolsa Família.

Composição Familiar:

Nome Idade Grau de parentesco Tamanho de roupa Tamanho de sapato
Teresa Ribeiro de Andrade 55 Responsável Familiar 56 (só usa vestido) 40
Miguel Kauã de Andrade 11 Neto 12 anos 37
Juan Ribeiro de Souza 8 Neto 8 anos 35/36 – precisa de chinelo


7 – Família Lima

Valesca dos Santos Lima tem 19 anos e reside na Favela do Aço com seus pais, Sérgio e Valéria, e com suas irmãs gêmeas, Isabella e Isabeli. Há 4 meses, ela passou a vender doces nos sinais de trânsito, na Barra da Tijuca, para ajudar na complementação da renda familiar. Com o pai desempregado, o sustento vem do Benefício de Prestação Continuada (BPC) que uma de suas irmãs recebe por ter deficiência renal.

Composição Familiar:

Nome Idade Grau de parentesco Tamanho de roupa Tamanho de sapato
Valesca dos Santos Lima 19 Responsável Familiar 38 37
Isabella dos Santos Lima 18 Filha 40 36
Isabelli dos Santos Lima 18 filha 34 34
Sérgio Ricardo de Oliveira Lima 47 Pai 44 41
Valéria Aparecida Dias dos Santos 53 Mãe 46 38


8 – Família Profírio

Ana Cláudia tem 27 anos e mora com os 4 filhos em Guaratiba. Antes da pandemia, ela trabalhava como manicure em um salão de beleza em Copacabana. Desempregada, Ana Cláudia tem ido para as ruas da Barra da Tijuca para vender balas e também faz alguns bicos, quando aparecem. O Projeto Conscientizar para Cuidar pretende, através de parceria, ajudá-la a comprar materiais para que ela possa abrir um salão na comunidade onde vive.

Composição Familiar:

Nome Idade Grau de parentesco Tamanho de roupa Tamanho de sapato
Ana Cláudia Muniz Porfírio 27 Responsável Familiar 40 39/40
Iago Muniz Dantas 11 Filho 13 anos 32
Bruno Miguel de Oliveira 6 Filho 10 anos 31
Davi Lucca Muniz de Oliveira 4 Filho 5 anos 27
Anna Laura Muniz de Oliveira 6 meses Filha 1 ano 22


9 – Família Venâncio

Rayana Torres Venâncio, de 27 anos, mora com o filho, a mãe e o irmão na Cidade de Deus. Antes da pandemia, trabalhava como auxiliar de Serviços Gerais. Desempregada, ela tem ido para as ruas da Barra da Tijuca para vender balas e assim complementar a renda familiar. Em razão dos acontecimentos, ela precisou parar a faculdade de Gestão de Recursos Humanos. Seu sonho é retomar os estudos e trabalhar nesta área.

Composição Familiar:

Nome Idade Grau de parentesco Tamanho de roupa Tamanho de sapato
Rayana Torres Venancio 27 Responsável Familiar GG 39
Railson Torres Venancio 26 Irmão M 41
Victor Hugo Torres Rodrigues 9 Filho M 35
Sheila Torres Quintanilha 59 Mãe GG 38


10 – Família Bastos

Filipe Domingues Bastos, de 32 anos, mora com a esposa Cintia e a filha Vitória no Complexo de Manguinhos. Desempregado há mais de 1 ano, ele está como pedinte em um sinal para conseguir obter recursos e sustentar sua família. Ele também, sempre que possível, faz alguns biscates. Felipe tem ensino médio completo e já trabalhou como auxiliar de Serviços Gerais.

Composição Familiar:

Nome Idade Grau de parentesco Tamanho de roupa Tamanho de sapato
Filipe Domingues Bastos 35 Responsável Familiar 42 42
Cintia Gama Gomes 30 Companheira 42 37
Vitoria Gomes Bastos 5 Filha 5 28

 

Doações – As roupas e os calçados deverão ser deixados na sala da Assessoria de Gestão Social, com o nome e o ramal do colaborador que está efetuando a contribuição. Para mais informações, entre em contato com Magali (magali.portela@far.fiocruz.br) ou Fátima (fatima.loroza@far.fiocruz.br).

 

Natal Solidário: Famílias recebem a primeira cesta da campanha

Download PDF

Com a mobilização da força de trabalho da unidade, a primeira meta de arrecadação foi alcançada. Os recursos financeiros foram revertidos em cestas básicas e distribuídas para as famílias contempladas

Nos dias 22 e 23 de outubro, a 7ª Coordenadoria de Assistência Social e Direitos Humanos realizou as entregas das cestas básicas para as famílias contempladas pela Campanha Natal Solidário – Se essa família fosse minha. Tal ação só foi possível graças à colaboração da força de trabalho de Farmanguinhos, que aderiu à campanha e arrecadou os recursos necessários para comprar alimentos e materiais de higiene e limpeza para compor a primeira cesta. Essa doação ajudará essas pessoas impactadas pela pandemia, além de terem um festejo natalino.

A técnica de proteção social responsável pelas entregas, Jeanine Lopes, destaca a importância da iniciativa de Farmanguinhos. “A Campanha Natal Solidário veio ao encontro das famílias participantes do projeto Conscientizar para Cuidar. Elas foram abordadas nas ruas, pela equipe de Assistência Social, enquanto vendiam balas nos sinais e passaram a ser acompanhadas pelos nossos equipamentos. A campanha proporcionará dignidade a elas, no momento atual de pandemia e dificuldade econômica, já que se encontram em situação de vulnerabilidade social”, observa.

Engajamento dos trabalhadores – Supervisora da Assessoria de Gestão Social de Farmanguinhos, Magali Portela explica que a ação tem sido bem-sucedida graças ao engajamento da força de trabalho da unidade, que demonstra solidariedade ao próximo nas campanhas institucionais.

“Ao propor a mudança na campanha, sabíamos que seria um grande desafio, porque demandaria um número grande de voluntários e muita mobilização dos articuladores, já que parte dos nossos colaboradores está em home office. Nós acreditamos na sensibilidade e na solidariedade da nossa força de trabalho. Valeu a pena! Em pouco tempo, sentimos que a campanha pegou, que nos foi depositada confiança na condução desse novo formato de projeto, e os resultados foram satisfatórios”, avalia Magali Portela.

A voz dos beneficiados – A contribuição de cada um tem resultados. A gratidão das pessoas é a melhor demonstração de que vale a pena fazer o bem. Contemplada pela campanha, Teresa Andrade, que vive com os dois netos na comunidade da Covanca, em Jacarepaguá, agradeceu imensamente a cesta e a solidariedade dos voluntários. Clique aqui e confira o depoimento.

Também beneficiada, Alexandra José, que mora com os três filhos na Cidade de Deus, também em Jacarepaguá, disse que essa doação foi a melhor coisa que aconteceu nesse momento de pandemia. Clique aqui e confira.

A Campanha continua! Agora é hora da força de trabalho se unir novamente para arrecadar a segunda meta, também no valor de R$ 1.800. Os colaboradores que parcelaram a cota deverão realizar o segundo depósito até dia 10/11.

Mais 49 voluntários – Para garantir a quantia de R$ 5.400,00 para o mês de dezembro (um valor maior para que sejam comprados, além das cestas, itens de natal e brinquedos), a campanha ainda precisa de 49 voluntários dispostos a doar 90 reais. Essa quantia poderá ser paga de forma única ou dividida em duas parcelas de 45 reais (primeiro depósito dia 10/11 e o segundo no dia 10/12).

Quem já participou, pode doar novamente. Então, seja uma ou mais cotas, contribuição individual, em dupla ou setorial… participe! Entre em contato com a Assessoria de Gestão Social e colabore!

Para saber mais sobre a campanha, clique aqui.

Confira, abaixo, as fotos das entregas:

 

Página 1 de 31