Download PDF
image_print

Fruto do Programa de Pós-graduação da unidade, o artigo propõe-se a identificar o desenvolvimento de novas tecnologias para diagnóstico e tratamento da esporotricose

Wanise com o Certificado de Menção Honrosa

O estudo “Panorama de tecnologias desenvolvidas para o tratamento da esporotricose vista pelos documentos de patentes” desenvolvido por Wanise Barroso, coordenadora e docente do Programa de Pós-graduação Profissional do Instituto de Tecnologia em Fármacos (Farmanguinhos/Fiocruz), Elaine Dias, egressa do Mestrado Profissional de Farmanguinhos, e Paula Neto, servidora do Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas (INI), recebeu menção honrosa, durante o VI Encontro Nacional da Propriedade Intelectual (VI ENPI), que ocorreu de forma remota, entre os dias 25 e 28 de agosto, devido à pandemia. O trabalho teve como objetivo identificar o desenvolvimento de novas tecnologias para diagnóstico dessa enfermidade pelas patentes e, devido ao prêmio, será publicado como capítulo de livro, que reunirá os 20 melhores artigos submetidos.

“Receber o prêmio de menção honrosa foi muito gratificante, devido ao reconhecimento do trabalho realizado em prospecção tecnológica por especialistas renomados do país que atuam na área. Além disso, participar desse evento foi também uma grande oportunidade de divulgar os estudos realizados pelo nosso Programa de Pós-graduação para profissionais da área, que inclusive é uma das exigências estabelecidas pela CAPES para programas strictu sensu”, destaca Wanise.

Considerada a micose mais comum da América Latina, a esporotricose acomete humanos e animais (comumente gatos), causando nódulos e úlceras na pele, sendo os fungos do gênero Sporothrix schenckii responsáveis pelo desenvolvimento dessas lesões. “Escolhemos a esporotricose pelo fato de ser uma doença negligenciada pelos laboratórios farmacêuticos, já que não existem medicamentos específicos para o tratamento. Com isso, realizamos um estudo de prospecção tecnológica utilizando bases de dados de pedidos de patente com o objetivo de identificar o desenvolvimento de novas tecnologias para diagnóstico e tratamento dessa enfermidade”, revela Wanise.

Trabalho de Farmanguinhos é apresentado durante o IV ENPI e recebe menção honrosa.

Outro artigo de Wanise, com as alunas Cristiane Ribeiro e Ariane Petrow, também egressas do Mestrado Profissional de Farmanguinhos, foi apresentado durante o VI ENPI. Intitulado “A estratégia comercial de um laboratório farmacêutico através do portfólio de patentes“, o estudo tem a finalidade de identificar a estratégia de patenteamento de medicamentos de um laboratório privado estrangeiro para que tal tática seja adaptada e aplicada no Brasil. Tal participação culminou na publicação desse trabalho nos anais do encontro como artigo completo.

O evento contou com mais de 330 participantes, entre palestrantes e conferencistas, do Brasil e de outros países, como Holanda e Portugal.

O VI Encontro Nacional de Propriedade Intelectual foi promovido pela Associação Acadêmica de Propriedade Intelectual (API), Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Universidade Federal de Sergipe (UFS) e Instituto Federal de Sergipe (IFS). Durante a programação desta edição foram compartilhadas experiências nas áreas de inovação, propriedade intelectual e transferência de tecnologias voltadas para o desenvolvimento socioeconômico, à autonomia tecnológica e ao bem-estar social. O evento reuniu mais de 330 participantes da comunidade científica e tecnológica, entre palestrantes e conferencistas, representando Instituições públicas e privadas, nacionais e internacionais, relacionadas com a academia, com o setor empresarial e governamental e que possuem experiência na área de inovação e transferência de tecnologia.