Download PDF
image_print

Farmanguinhos produz cerca de 3 milhões de unidades farmacêuticas do antiviral Ribavirina, indicado para o tratamento de hepatite C. Ao todo, já foram disponibilizadas mais de 3 milhões de unidades farmacêuticas ao SUS no primeiro quadriênio deste ano

 

Nesta quarta-feira (28/7) é celebrado o Dia mundial de luta contra as hepatites virais. A data foi instituída pela Organização Mundial da Saúde (OMS), em 2010, para alertar sobre a importância da prevenção e do controle dessa doença que causa cerca de 1,4 milhão mortes por ano em todo o mundo. No Brasil, foram notificados mais de 670 mil casos, de 1999 a 2019, conforme último boletim epidemiológico do Ministério da Saúde.

Diante desse cenário, o Instituto de Tecnologia em Fármacos (Farmanguinhos/Fiocruz) reitera seu compromisso com a saúde pública brasileira e segue na produção do antiviral Ribavirina, indicado para o tratamento da hepatite C, que disponibilizado à população pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Para se ter uma ideia, só no primeiro quadriênio deste ano, a instituição fabricou cerca de 3 milhões de unidades farmacêuticas do medicamento.

O que é hepatite? É uma inflamação do fígado, que pode ser provocada por vírus, remédios, drogas, álcool, doenças autoimunes, metabólicas e genéticas. No Brasil, as hepatites virais mais comuns são causadas pelos vírus A, B e C. Existem ainda, com menor frequência, o vírus da hepatite D (mais comum na região Norte do país) e o vírus da hepatite E.

Sintomas – Os sintomas nem sempre são aparentes, mas podem se manifestar na forma de cansaço, febre, mal-estar, tontura, enjoo, vômitos, dor abdominal, pele e olhos amarelados, urina escura e fezes claras.

Transmissão – A hepatite A é por água e alimentos contaminados. Já os tipos B e C ,em geral, são por  sangue. A hepatite B, por sua vez, também é considerada uma doença sexualmente transmissível.

Tratamento –  As vacinas contra as hepatites A e B são a principal medida de prevenção. Para a hepatite C existem os antivirais, sendo alguns disponibilizados pelo Sistema Único de Saúde (SUS), como a Ribavirina.

Prevenção – Várias medidas que podem evitar a transmissão das hepatites virais, como higienizar os alimentos que serão consumidos crus e cozinhar bem os demais; lavar as mãos com frequência; usar materiais descartáveis para fazer tatuagens ou colocação de piercings; não compartilhar objetos de uso pessoal, como lâminas, escovas de dente, utensílios de manicure e pedicure; utilizar preservativos durante as relações sexuais, dentre outras.

Diagnosticar a hepatite precocemente é a melhor forma de obter maiores chances de eficácia com o tratamento. Por isso, a importância de ir ao médico regularmente e fazer os exames de rotina. Os testes rápidos para diagnóstico estão disponíveis no Sistema Único de Saúde, assim como o tratamento para a doença.