Categoria: Destaques (Página 1 de 2)

image_pdfimage_print

Farmanguinhos vai produzir medicamento para isquemia cardíaca

A tecnologia em micropellets permite liberação diferenciada do princípio ativo prolongando a ação do fármaco no organismo


O Instituto de Tecnologia em Fármacos (Farmanguinhos/Fiocruz) vai produzir um importante medicamento para tratamento de isquemia cardíaca, o Vastarel, na concentração 80 mg. Com o objetivo de abastecer o Sistema Único de Saúde (SUS), a fabricação no Complexo Tecnológico de Medicamentos (CTM) será viabilizada a partir de uma parceria entre a unidade da Fiocruz e o laboratório francês Servier. O diferencial deste acordo está na internalização da tecnologia de micropellets, modo de encapsulamento que possibilita liberação diferenciada dos fármacos. Incorporada, tal tecnologia poderá ser usada, futuramente, para o desenvolvimento de outros medicamentos de interesse do SUS.

 

Equipe de Farmanguinhos e da Egis Pharmaceuticals, empresa vinculada ao grupo Servier, localizada na Hungria, especializada em micropellets

Segundo a vice-diretora de Operações e Produção (VDOP), Elda Falqueto, a etapa de transferência começou no mês passado, quando especialistas do LTF, da VDOP e do Núcleo de Validação e Qualificação (NVQ) visitaram as instalações da Egis Pharmaceuticals, empresa vinculada ao grupo Servier localizada na Hungria. A planta é especializada neste tipo de produção em micropellets.

 

Desta forma, durante três dias (6,7 e 8 de Junho), três profissionais de Farmanguinhos, permaneceram na cidade de Körmend absorvendo a tecnologia: Abel Alves Rosa Junior (VDOP), Douglas Andrade (LTF) e Rodrigo Correa (NVQ). “Acompanhamos o processo de produção dos micropellets revestidos de liberação modificada tendo a oportunidade de aprender detalhes deste processo produtivo complexo e detalhado. A absorção desta tecnologia é de grande importância estratégica para Farmanguinhos, uma vez que a capacidade de produção desta forma farmacêutica aumenta as possibilidades de produção e desenvolvimento de novos medicamentos”, avalia o farmacêutico Abel Alves Rosa Junior.

 

Chefe do Laboratório de Tecnologia Farmacêutica (LTF), Juliana Johansson destaca que estes sistemas de micropellets permitem a otimização da biodisponibilidade de diversos princípios ativos ou a modulação do perfil de dissolução das formas farmacêuticas, facilitando a veiculação e absorção delas pelo organismo do paciente.

 

“No caso específico do Vastarel, o princípio ativo contido nos micropellets apresenta liberação prolongada, fazendo com que esta ocorra de forma lenta e contínua no organismo. Com esta tecnologia, a concentração plasmática se mantém mais estável no paciente, reduzindo a ocorrência de eventuais efeitos colaterais provocados pelo medicamento. Outra vantagem é a redução do número de tomadas diárias do medicamento, já que uma dose maior pode ser entregue lentamente ao longo do tratamento e, consequentemente, o aumento da adesão”, explica Juliana.

 

Processo de fabricação de pellets (Fonte: https://www.glatt.com/en/processes/pelletizing/direct-pelletizing/)

Outro benefício apontado pela farmacêutica é a possibilidade de revestir os micropellets com polímeros gastrorresistentes. “Desta forma, permite-se que o princípio ativo seja disponibilizado apenas em porções específicas do trato gastrointestinal do usuário. Esse recurso tecnológico pode ser vantajoso no caso de moléculas que sofrem degradação em pH ácido ou que possuem máximo de absorção em faixas de pH alcalinas”, observa a pesquisadora.

 

Quanto à parceria em si, Juliana Johansson afirma que o convênio beneficia as duas instituições, assim como todas as demais que envolvem contato entre equipes técnicas de diferentes empresas e com culturas diversas. “Do ponto de vista de Farmanguinhos, mais especificamente, é um grande ganho trabalhar com um parceiro disponível para que o treinamento na nova tecnologia ocorra de maneira transparente e proveitosa. O fato de a Servier abrir as portas para transferir a tecnologia do seu processo de obtenção dos micropellets, que serão encapsulados em Farmanguinhos, proporciona um grande crescimento à nossa equipe”, avalia.

 

4º Simpósio Internacional de Farmanguinhos

Desafios e novas tecnologias  na descoberta de drogas e produção farmacêutica

Acesse a página do evento http://www.symposiumcntp.far.fiocruz.br/index.php/br/

(mais…)

Pregões diversos para compras que vão de cabine de pesagem a frascos, passando por impressão de bulas

O Instituto de Tecnologia em Fármacos (Farmanguinhos) lançou ao mercado seis editais para aquisição de uma série de produtos e prestação de serviços, e que abrangem desde uma cabine de pesagem até frascos de polietileno, passando pela impressão de bulas para dois dos medicamentos que fabrica no Complexo Tecnológico de Medicamentos (CTM), localizado em Curicica, Jacarepaguá, bairro da zona oeste do Rio de Janeiro.

 

Pregão Eletrônico SRP nº 50/2017
Objeto: Aquisição de Cabine de Pesagem

Data de abertura: 10/07/2017
Valor total estimado: R$  129.019,06

50 2017 Cabine de Pesagem

Pregão Eletrônico SRP nº 53/2017
Objeto: Aquisição de Bula de Pramipexol e Bula de Dietilcarbamazina

Data de abertura: 17/07/2017
Valor total estimado: R$  257.500,00

53 2017 BULA PRAMIPEXOL e BULA DE DIETILCARBAMAZINA

Pregão Eletrônico SRP nº 54/2017
Objeto: Aquisição de tinta epóxi alta espessura da marca jumbo

Data de abertura: 10/07/2017
Valor total estimado: R$  32.445,00

54 2017 TINTA EPOXI JUMBO

Pregão Eletrônico SRP nº 55/2017
Objeto: Aquisição de rodas p.g, cartucho neck down, terra adubada, pregos, tijolo, pedras e outros

Data de abertura: 05/07/2017
Valor total estimado: R$  82.609,00

55 2017 RODA PG PREGOS E OUTROS

Pregão Eletrônico SRP nº 58/2017
Objeto: Aquisição de Retentor sabo, bag para evaporador rotativo e outros

Data de abertura: 07/07/2017
Valor total estimado: R$  17.500,00

58 2017 retentor sabo edital

Pregão Eletrônico SRP nº 59/2017
Objeto: Aquisição de Frasco de Polietileno com tampa 100

Data de abertura: 10/07/2017

Valor total estimado: R$  521.000,00

59 2017 Frascos

A caminho do Doutorado Profissional

Representante da Capes fica satisfeita  com visita feita a Farmanguinhos para avaliar condições acadêmicas, científicas e tecnológicas na área farmacêutica

Dentro de um mês deverá estar pronta a nova proposta que a Fiocruz submeterá à Coordenação de Aperfeiçoamento do Pessoal de Nível Superior (Capes) para que o Instituto de Tecnologia em Fármacos (Farmanguinhos) disponha do Curso de Doutorado Profissional. Caso haja aprovação, Farmanguinhos passará a ser a primeira instituição brasileira a oferecer tal modalidade de ensino na pós-graduação na área 19 – Farmácia da Capes. Em paralelo, a Vice-Diretoria de Ensino, Pesquisa e Inovação (VDEPI) está trabalhando para pleitear, também, o Mestrado e Doutorado Acadêmico, o que atenderia antiga reivindicação dos pesquisadores ligados à ciência básica, explica o Coordenador do Mestrado de Farmanguinhos, Jorge Magalhães.

 

Da esquerda para a direita, o diretor Jorge Mendonça, recebeu a representante da Capes, Silvia Guterres, e contou com a ajuda da vice de Ensino, Pesquisa e Inovação, Erika Carvalho, e do coordenador do Mestrado Profissional, Jorge Magalhães, para deixá-la bem informada sobre a área de ensino de Farmanguinhos

A sensação de que Farmanguinhos está no caminho certo na área do Ensino foi confirmada durante visita que a Coordenadora da Área de Farmácia da Capes, Adjunta para a modalidade Profissional, Sílvia Guterres, realizou nesta 3ª feira (27/06), a Farmanguinhos, tanto no Complexo Tecnológico de Medicamentos (CTM), quanto em Manguinhos, nos Laboratórios de Produtos Naturais, Farmacologia, Plataforma Analítica e Síntese. No CTM, a visita foi acompanhada pelo diretor Jorge Mendonça, pela Vice de Ensino, Pesquisa e Inovação (VDEPI), Erika Carvalho, o Coordenador Jorge Magalhães e outros professores do Curso. No Castelo, Sílvia foi recebida pelo Vice-Presidente de Ensino da Fiocruz, Manoel Barral Neto, e pela Coordenadora Geral de Pós-Graduação (CGPG) da Fiocruz, Cristina Guillan.

 

Esta foi a primeira visita feita por um profissional da Capes, agência do Ministério da Educação (MEC), ao Curso de Mestrado e à Unidade. Segundo Priscila Rito, uma das professoras do curso, Sílvia saiu de Farmanguinhos “encantada com o que viu”. Durante palestra na Sala de Conferência do CTM, nos disse que éramos o único Curso na área de Farmácia no Brasil que dispúnhamos de infraestrutura adequada, tanto na área de ensino, quanto nas de pesquisa, desenvolvimento e produção farmacêuticos, contou o coordenador. Pesa, ainda, a favor de Farmanguinhos, o status de ser nota 4 – penúltima na escala (nota máxima é 05) – no Mestrado Profissional. O fato de ter nota 4 habilita pleitear o Doutorado Profissional, conforme nova regulamentação do MEC.

 

A primeira reivindicação para que Farmanguinhos obtivesse o Doutorado foi submetida à CGPGda Fiocruz. Isto porque é norma da Instituição preconizar que nenhum curso novo pode ser submetido a Capes sem antes ter havido duas avaliações externas. Assim foi feito no segundo semestre de 2016, e o resultado de aprovação para a efetiva submissão com ressalvas, melhorias, ocorreu no último fevereiro.  E, atualmente, a proposta está sendo adequada com o preenchimento dos itens relacionados aos critérios exigidos pelo MEC.

 

Em março, uma boa notícia vinda de Brasília animou a Coordenação de Pós-Graduação da Fiocruz: a regulamentação pelo MECdo Doutorado Profissional, Mais recentemente, quando Sílvia manifestou o desejo de conhecer Farmanguinhos, “por dentro”. Magalhães conta que, ao solicitar a visita, a professora argumentou que uma coisa era estar com papéis, e outra como aquelas informações listadas em documentos que recebia no gabinete, em Brasília, seriam retratadas na prática.

 

Após a visita, Silvia concluiu que, dentre as 66 instituições na área de Farmácia no Brasil a oferecer Mestrado Profissional, Farmanguinhos era a única com habilidade a pleitear um Doutorado Profissional. E no momento que a Capes publicar a portaria autorizando o início do Doutorado Profissional, explica Magalhães, Farmanguinhos passará a dispor de um Programa de Pós-Graduação. Não apenas do curso de Mestrado, como até agora, e, obviamente, os professores e alunos serão mais cobrados à luz do novo Programa, e cuja  avaliação passará a ser de notas de 1 a 7, não mais de 1 a 5.

Fotos: Edson Silva

Inscrição online para Mestrado Profissional de Farmanguinhos

Clique nos links abaixo e acesse a Plataforma Siga-Fiocruz e o sítio eletrônico para inscrição.

www.sigass.fiocruz.br

http://selecao2018.far.fiocruz.br/

Página 1 de 2